Descrição do projecto

Projecto: A_proxy_mations
Categoria: Instalação Interactiva
Apoio: Xesús Valle
Período: Setembro 2006
Evento: Residência e Simpósio Nodar Pushing the Medium #2


„A_proxy_mations” consiste na comunicação duma aldeia com uma cidade utilizando como interface um tanque ou lavadouro comunal. Os lavadouros foram centros de comunicação e trabalho entre os habitantes das aldeias, especialmente entre o grupo mais periférico: as mulheres. A partir de “A_proxy_mations” quisémos fazer uma continuidade baseada na ideia de streaming Físico (corrente de água) e virtual.

O tema de comunicação foi, neste caso, o dos movimentos migratórios desde a periferia ao centro urbano. Propomos a aldeia de Nodar (Portugal) e o Bairro da Salgueira em Vigo (Galiza, Espanha) para fazer o intercâmbio.

No projecto, convivem duas fases:

1º. Documentação: Conversação e documentação com os habitantes do lugar periférico e da cidade sobre o tema. Gravação das conversas para utilizá-las depois na instalação.

2º. Instalação: constou de dois terminais: periferia e centro.

Periferia.
Na aldeia, a instalação esteve numa fonte / lavadouro comunal. Ao tocar a água com a mão, reproduzem-se as gravações efectuadas dos aldeões, soando tanto na aldeia como na cidade (sinal via internet). A captação do movimento é feita através de análise de imagem com câmaras vídeo (tracking). As câmaras determinam o momento em que existe obstrução de imagem e enviam o sinal ao computador.

Centro.
Na cidade, a instalação esteve numa fonte pública improvisada no bairro, onde se escutaram os sons que chegam da aldeia. Ao mesmo tempo, desde a cidade pode-se interagir com aldeia através da fonte (tocando a água), que envia um sinal luminoso e sonoro à aldeia. O interface funciona aqui com a interrupção da corrente de água com a mão. O sensor na base da fonte detecta as variações de pressão da água, e envia sinal.

Um diário do projecto e do simpósio, por Roi Fernández e Xesús Vale (em Galego).



Roi Fernández | Espanha

Vive e trabalha em Vigo, na região espanhola da Galiza. Desenvolve trabalhos de arte de acção, formas de teatro híbridas, net-art e criação vídeo. Roi fundou em 2001 o grupo multimedia e VJ “Input Select” com o qual participou em vários eventos de arte electrónica. Desde 2003 trabalha com o colectivo Sr.Pause, dedicado à criação multimédia e audio-visual e ao design cénico. Alguns dos seus projectos estão baseados numa reflexão sobre questões relevantes no contexto Galego actual, como os movimentos migratórios, espaços abandonados, as ligações e dinâmicas entre espaços rurais ancestrais e as zonas urbanas modernizadas. Roi é também membro da associação artística galega alg-a.org e coordenador do projecto “alg-a física: Laboratório alg-a”.

http://srpause.sinsitio.org/