Descrição do projecto


(mp3 – 128 Kbps)

Este ano, o Campeonato do Mundo realizado na África do Sul foi dominado por um instrumento de sopro feito em plástico colorido chamado ‘vuvuzela’. À medida que os vários países iam sendo eliminados do Campeonato do Mundo, provavelmente sofreram um processo de ‘desvuvuzelação’: alguns dias de” luto nacional “seguidos por um progressivo regresso à normalidade. Cada vez menos vuvuzelas iam sendo ouvidas até que desapareceram completamente.

Curiosamente, o som da típica vuvuzela de plástico apareceu no meu analisador de espectros, com cerca de 32 harmónicos significativos: um por cada selecção presente no Campeonato do Mundo.

Eu criei uma imagem sonora do processo de ‘desvuvuzelação’ eliminando progressivamente cada harmónico do espectro da amostra de som de uma vuvuzela à medida que cada selecção ia sendo eliminada do Campeonato do Mundo. No final, apenas o harmónico correspondente ao Campeão do Mundo se ouve. Depois, o silêncio.

Eu defini as seguintes regras para o processo:

  • O volume relativo de cada um dos 32 harmónicos segue a classificação relativa das selecções nacionais no ranking da FIFA antes do Campeonato do Mundo;
  • A duração da peça é proporcional ao número de dias do Campeonato do Mundo contando dois dias extra para a comemoração da selecção vencedora, com um dia correspondente a 10 segundos;
  • O instante da peça sonora em que um determinado harmónico é removido corresponde à data em que a correspondente selecção nacional foi eliminada do Campeonato do Mundo.

Biografia Artística

Rui Costa é um artista sonoro baseado em Lisboa, Portugal. Ele apresentando publicamente o seu trabalho desde 1998. Ele é membro fundador e director artístico da Binaural. Ele desenvolveu uma série de trabalhos sonoros focados na tradução para o domínio sonoro de outras realidades, como a experiência turística de Lisboa (“Sighseeing for the Blind”) e um relato de uma viagem de comboio (“Le Train de Bordeaux”, baseado num conto de Marguerite Duras). Rui Costa colaborou com o músico espanhol Iñaki Ríos, com quem desenvolveu sistemas de composição electrónica programados em Max / MSP, Lisa e Csound e desenvolveu uma série de obras ‘site-specific’ em Nodar. Em 2007, iniciou uma colaboração com a performer vocal Manuela Barile com um projecto intitulado “La Scatola”, que foi concebido como uma série de instalações e performances audiovisuais. Rui Costa é um orador regular em conferências e dá workshops dedicados à arte sonora.

http://www.myspace.com/ruigcosta[/fusion_builder_column][/fusion_builder_row][/fusion_builder_container]