Quarto Ciclo de Residências Artísticas de Paivascapes #1
Concelhos de Castro Daire, São Pedro do Sul e Arouca
1 a 14 Julho de 2010
Phill Niblock e Katherine Liberovskaya (US/CA)
Charles Stankievech (CA)
Craig Dongoski (US)

O Programa de Residências Artísticas de Nodar para 2010 tem um tema agregador único: o rio Paiva. Ao longo do ano, do Inverno ao Outono são desenvolvidos diversos projectos artísticos multidisciplinares (que tenham como elemento central o som) numa perspectiva contextual relacionada com as várias zonas geográficas do rio, da nascente até à foz.

Três projectos artísticos serão desenvolvidos neste quarto ciclo de residências artísticas, sendo de destacar a presença em Nodar do compositor electrónico Phill Niblock, o qual trabalhará com a vídeo-artista Katherine Liberovskaya. Estarão igualmente presentes em Nodar o artista visual e sonoro norte-americano Craig Dongoski e o artista sonoro canadiano Charles Stankievech.

No final da residência, em data e local a anunciar, será realizado um encontro informal “in situ” com os artistas, os quais terão oportunidade de apresentar os respectivos processos de trabalho e eventualmente algum resultado preliminar.

Phill Niblock and Katherine Liberovskaya (US/CA)
Art Project:
“Cross-and-along Paiva” | Sound Art, Video Art

O projecto irá analisar o encontro do ambiente natural do rio Paiva com o ambiente que sofreu a intervenção humana e que entra em contacto com ele. Irá incidir, mais precisamente, nos pontos de intersecção onde as estradas se cruzam ou alcançam o rio. Neste sentido, irá justapor os diversos ecossistemas que estão próximos e até mesmo dentro do rio Paiva, com a realidade da presença da intervenção humana no território. Os pontos de intersecção servirão como locais de “escavação” para a recolha de sons e imagens. Gravações de campo aurais e visuais que variam entre grandes perspectivas macroscópicas aos detalhes microscópicos que irão captar impressões não “documentadas” de cada local. O equipamento de gravação vai incluir microfones stereo, binaural e subaquáticos para câmaras de vídeo áudio e digital, com uma variedade de lentes de vídeo (também estamos a estudar a possibilidade de usar uma câmara air-tight revestida, para o vídeo subaquático). Os clips de áudio e vídeo gravados servirão como material para uma performance audiovisual, onde iremos misturar som e vídeo ao vivo através de laptops e hardware. Também iremos produzir uma peça audiovisual multi-canal de 10 minutos, que será masterizada em DVD.

Biografias Artísticas:

Phill Niblock nasceu em Indiana, em 1933 e é um artista intermedia que trabalha com música, cinema, fotografia, vídeo e computadores. A sua música é densa, cheia de microtons de timbres instrumentais que geram por sua vez outros tons no espaço da performance. Simultaneamente, apresenta filmes e vídeos que observam o movimento das pessoas a trabalhar. Ao longo dos anos, criou igualmente uma série de colagens de som e peças de instalação com base em gravações sonoras de campo. Desde 1985 é director da Experimental Intermedia Foundation em Nova Iorque da qual tem sido artista / membro desde 1968. Produziu mais de 1000 performances para a organização desde 1973 e é curador da editora EI’s XI Records.

http://phillniblock.com

Katherine Liberovskaya é uma artista vídeo e de media baseada em Montreal e Nova Iorque. Ela tem trabalhado em vídeo experimental desde o final dos anos 80. Ao longo dos anos, produziu uma série de obras vídeo, instalações e vídeo performances. Desde 2003, tem trabalhado em “video mixing” ao vivo explorando a improvisação com música experimental ao vivo. Tem estado envolvida na programação e organização de diversos eventos de artes media no Canadá e EUA.

http://www.liberovskaya.net


Craig Dongoski (US)
Projecto Artístico:
“Durations: Paiva River” | Desenho, Performance, Arte Sonora

O artista irá usar o seu estudo sobre o encontro com o contorno do rio para orientar uma investigação de resultados expressivos, utilizando microfones de contacto piezo para gravar o som de inscrição e microfones “shotgun” para captar o ambiente local. Ao caminhar junto ao contorno do rio, Craig irá literalmente actuar da mesma forma funcional que o desenho, ou seja, traçando um contorno de forma precisa e directa. Através do processo de interpretações repetidas, o trabalho começa a produzir camadas (literal e metaforicamente). A abordagem orgânica do desenhar destina-se a abraçar reflexivamente o tempo encontrado dentro do domínio geológico. O uso de tecnologias de áudio dentro do domínio do desenho é o que torna relevante esta extensão. Isso motiva uma investigação da experiência corporificada num cenário de solo, condicionada pela estrutura em forma de um corpo geológico / geográfico. Craig adopta métodos de pesquisa de performance em paralelo com técnicas de desenho e gravação áudio. A abordagem é conduzida pela observação da produção da acção repetitiva e contínua que resulta da noção de tempo encontrada na natureza.

Biografia Artística:

Craig Dongoski é um artista que trabalha em Atlanta, Geórgia (EUA) nos domínios da Escrita Criativa, Dança, Estudos de Media, Som / Música e Teatro. Os seus métodos têm sido reconhecidos em várias contextos, tendo sido inclusive nomeado duas vezes para uma Bolsa de Estudo Ford/Rockefeller Foundation em Novos Media e recebeu um Grande Prémio Universitário de Inovação em Ensino na Georgia State University. Lançou também um CD na Hydra Head Records, com o título “Drawing Voices”.

http://www.vimeo.com/user1578781/videos


Charles Stankievech (CA)
Projecto Artístico:
Sem Título | Instalação e Performance

O artista irá observar o fluxo desconhecido da região do rio Paiva com a gravação de sons subaquáticos, electromagnéticos e radiofónicos. Usando hidrofones embutidos no rio, vai gravar o fluxo da água e a vida aí existente. Usando microfones electromagnéticos, vai gravar os vestígios da indústria existente ao longo do curso do rio. Usando um receptor de rádio, irá capturar a comunicação da sociedade que flui através do rio. Combinando essas texturas de ruído branco (fluxo de água, zumbido electromagnético + impulsos, e ruído FM) dará um retrato sónico da vida dinâmica do rio, que molda a paisagem natural e é moldado pela cultura. O resultado final será uma composição sonora de radiodifusão: disponível para rádios locais ou como apresentação de uma instalação numa galeria, usando um transmissor e um rádio de emergência.

Biografia Artística:

Charles Stankievech é um artista canadiano que trabalha na intersecção entre arte, arquitectura e teoria. O seu trabalho foi exibido nomeadamente na Bienal de Arquitectura (Veneza), Banff Centre for the Arts (Canadá), Subtle Technologies (Toronto), Eyebeam (Nova Iorque), e Atlantic Center for the Arts (Florida). Stankievech detém um mestrado em Open Media e Bacharelado em Filosofia e Literatura. Os seus escritos têm sido incluídos em várias publicações académicas, como Leonardo Music Journal (MIT Press), livros e catálogos de artistas. Ele tem trabalhado em paisagens sonoras e com artistas sonoros como R. Murray Schafer, David Dunn e Alvin Lucier. Actualmente é investigador em redes media digitais na Universidade do Árctico, Canadá.

http://www.stankievech.net


Para Informação adicional sobre Paivascapes #1, clicar aqui