Escuta onde estás o que és: ao redor do microfone”
Um ateliê de Nilo Gallego e Rui Costa
Produção Binaural/Nodar para o Festival Altitudes (Campo Benfeito)
2ª Feira, 10 Agosto – 5ª Feira, 13 Agosto 2015 (14h00-17h00)

“Talvez não possamos escutar a escuta mas certamente que podemos observar o acto de escutar.”
Marcel Duchamp

Refere-se muitas vezes o som como sendo algo neutro que é percebido da mesma maneira por todos. Não é assim. Existem mil e uma nuances que dependem de quem participa na experiência sonora (de quem fala e de quem escuta, das respectivas memórias pessoais e estados de espírito etc.) mas também dos meios de captação e de escuta. Por outro lado, existe o real, o real específico (como o de Campo Benfeito, Castro Daire) de um espaço/tempo denso e subjetivo.

No atelier “Escuta onde estás o que és: ao redor do microfone” mais do que *fazer* (música, som), serão *traduzidos* (espaço, movimento, pensamento) em traços sonoros, os quais se tentarão organizar numa performance sonora final e coletiva.

Crédito da fotografia: “Octubre”: Gravando sons de Sheryl Sánchez”, TV Cultura (Perú), Some Rights Reserved

Nilo Gallego. Ponferrada, León (Espanha), 1970. Músico, realiza performances nas quais a experimentação com o som é o ponto de partida. Os seus trabalhos têm uma componente lúdica, pro- curando a participação do outro. Toca bateria, percussão e electrónica. Desenvolveu recentemente vários projetos colectivos como “Laboratório 987” com Chus Domínguez e Silvia Zayas apresentado no MUSAC, Museo de Arte Contemporáneo de Castilla y León em 2013/14. “Emisiones Cacatúa” com Arantxa Martínez, projeto em redor da rádio e coreografia apresentado no Festival Inpresentable, Madrid em 2012 e “Orquestina de pigmeos” com Chus Domínguez, Noemí Fidalgo e Raul Alaejos, dedicado à performance site specific.

Rui Costa é um artista sonoro que vive em Lisboa, Portugal. Apresenta publicamente o seu trabalho desde 1998. É membro fundador da organização cultural Binaural/Nodar e presentemente é director editorial e conselheiro estratégico. No início de 2000, Rui Costa colaborou com o músico espanhol Iñaki Ríos, com quem desenvolveu sistemas de composição electónica programados em Max / MSP, Lisa e Csound e desenvolveu uma série de trabalhos ‘site- specific’ em Nodar, com apresentações posteriores em Portugal, Espanha e nos Estados Unidos. Em 2008, colaborou com a performer vocal italiana Manuela Barile num projecto de larga escala, intitulado “La Scatola”, que foi concebido como uma série de instalações e performances audiovisuais. A estreia ocorreu no centro de residências artísticas da Binaural / Nodar. Este projecto foi também apresentado em Espanha, França e Itália. Desde 2009, Rui Costa tem vindo a desenvolver uma série de instalações sonoras, intitulada “Sightseeing for the Blind”, que lida com a experiência turística de uma cidade. Até agora, este projeto foi apresentado em Lisboa e Aveiro (Portugal). Rui Costa é um orador regular em conferências e dá workshops dedicados à arte sonora. Recentemente, Rui e Maile Colbert deram uma série de conferências, workshops e performances em diversas universidades e centros de arte contemporânea nos Estados Unidos sobre o programa de residências artísticas da Binaural/Nodar e a arte em contexto específico em geral.