OCUPAI! – Festival Ibérico de Arte e Ação
São Pedro do Sul, 31 de Julho a 2 de Agosto de 2015
Direção Artística: Binaural/Nodar
Co-organização: Binaural/Nodar, Município de São Pedro do Sul e Espíritos Inquietos – Grupo de Intervenção Cultural
Parceria Artística: Alg-a (Galiza, Espanha)

Diretor Artístico e de Programação: Luís Costa (Binaural/Nodar)
Equipa de Programação: Nuno Almeida (Espíritos Inquietos) e Susana Rocha (Binaural/Nodar)
Responsável pela Produção: Susana Rocha (Binaural/Nodar)
Coordenação da Equipa de Produção Municipal: Carlos Almeida e Pedro Xavier (Município de São Pedro do Sul)
Imagem Gráfica: Manuela Barile (fotografias) e Luís Costa (desenho gráfico) (Binaural/Nodar)
Relação com Comunidades Infanto-juvenis: Susana Rocha (Binaural/Nodar), Susana Almeida (Município de São Pedro do Sul) e Catarina Cabral (Município de São Pedro do Sul)

A Binaural/Nodar é uma estrutura co-financiada pela Direção Geral das Artes

http://www.lafoesterradecultura.org
http://www.facebook.com/festivalocupai


a) O Festival Ocupai!:

O OCUPAI! – Festival Ibérico de Arte e Ação é um evento contemporâneo e urbano co-organizado pela Binaural/Nodar, pelo Município de São Pedro do Sul e pelos Espíritos Inquietos, decorrendo na cidade de São Pedro do Sul entre 31 de Julho e 2 de Agosto de 2015 e que pretende trazer a liberdade de expressão ao espaço público urbano. O evento reune um conjunto de ações e espetáculos concebidos e selecionados especificamente pelo seu carácter mobilizador de comunidades jovens locais e propulsor de questionamentos sobre o ser-no-tempo-e-no-espaço de uma região do interior no Século XXI.

Destacam-se na programação do festival. um conjunto de estreias absolutas em Portugal decorrentes de parcerias estabelecidas com estruturas e grupos artísticos espanhóis: o coletivo somospeces≠ da cidade de León apresenta “Télépathie”, uma reunião-performance onde o público adquire o estatuto de protagonista, em que os artistas propõem um lugar para a consciência ativa, no qual se pode imaginar em comum, a partir das personalidades e realidades individuais. Nilo Gallego e Amalia Fernandez, por sua vez propõem “Perrita China” (“A Cadelinha Chinesa”), o qual é, nas palavras dos artistas, o tempo, ou melhor, a ação no tempo, de dois artistas que procuraram um lugar comum. Esse lugar comum, depois de muita procura, demonstrou ser a música. A música que é evocada através da própria visão do instrumento musical. A música que se poderia imaginar vendo um concerto e sendo ao mesmo tempo surdo ou surda. O coletivo galego Alg-a, com o qual a Binaural/Nodar colabora desde 2007, apresenta no festival Ocupai! quatro propostas: o cabaret-lírico-poético de Aldao Lado, um concerto de arte sonora, música e poesia com Estibaliz Espinosa, Patxi Valera e Madamme Cell, outro concerto com Igmg, um grupo de Vigo definido pela imprensa como praticando um free dada rock explosivo e carregado de humor e, finalmente, a arte pública de Isaac Cordal que disseminará no espaço público de São Pedro do Sul pequenas esculturas de homens e mulheres apáticos/as.

Outro bloco de programação será constituído por um conjunto de ações em espaço público pensado especificamente para envolver ativamente a juventude de São Pedro do Sul através da formulação de contextos de livre expressão: “O cantinho do falador” (espaço de microfone aberto para declarações de dúvida, indignação ou amor), “Vem tocar o que sabes” (jam session), Orquestra Sampedrense de Ringtones (o smartphone como instrumento musical), “Campanologia Sampedrense” (a ativação sonora de sinos de igrejas e capelas) e UWAGA! um projeto proposto pela associação cultural DEMO, que consiste na ativação de um pensamento sobre a cidade, seus desejos e carências e a sua representação gráfica e posterior disseminação em espaço público.

O Festival Ocupai!, resultando de parcerias locais, nomeadamente entre a Binaural/Nodar e os Espíritos Inquietos (um grupo de intervenção cultural de São Pedro do Sul, ativo desde há cerca de 10 anos), articula uma programação musical diversificada, em que o poder da palavra é o elemento aglutinador: destaca-se o concerto dos cada vez mais reconhecidos Peixe:Avião, do punk tão autêntico como enérgico dos Gazua e o novo folk de um recém formado grupo da região de Viseu, os Tranglomango e o Teatro do Frio que apresenta um inovador quanto sereno Concerto para as Estrelas.

O Festival Ocupai! apresenta ainda um conjunto de três instalações sonoras e audiovisuais da Binaural/Nodar (“Macário”, “Novas Escutas Rurais” e “Da Serra ao Bairro Chinês”) e propõe, paralelamente espaços de lazer, de gastronomia local e de produtos regionais e um mercado livre de objetos e produtos usados.


b) Manifesto Ocupai!:

Ocupar: Verbo transitivo. Encher um espaço de lugar e de tempo.
Ocupai. Segunda pessoa do plural do imperativo afirmativo do verbo ocupar.

São Pedro do Sul. Bem-vindos a uma terra feliz. Um território de matriz rural em transformação. Paisagens de montanhas e de rios, novas urbanidades, novas atividades fruto da adesão à grande roda motriz do global. Um sentido de proximidade resiste nesta terra (olá vizinho), mas em simultâneo há tanto espaço por preencher e ação por encetar, que ligue, intersecte, provoque o contato, o desejo e a afirmação do ser-no-tempo-e-no-espaço.

OCUPAI! – Festival Ibérico de Arte e Ação é um evento contemporâneo e urbano que decorre na cidade de São Pedro do Sul entre 31 de Julho e 2 de Agosto de 2015 e que pretende trazer a liberdade de expressão ao espaço público urbano, enquanto arma produtiva e criativa para tornar a vida de uma cidade do interior mais aberta. É no quotidiano que vemos como há gente que escapa ao contato, ao simples olhar, olhos nos olhos, como há tantos desejos escondidos que nunca vêm à tona, enredados em automatismos à distância de um “gosto” tão rapidamente clicado quanto esquecido. O festival pretende pois pensar em como a população, particularmente aquela jovem, pode ocupar o espaço público à luz dos novos desafios da comunicação. Porque é que diz que “aqui não se passa nada” e não assume o seu poder coletivo em processos de transformação?

OCUPAI! é um festival que se inspira na emergência de movimentos de ocupação do espaço urbano, mas aplicando um fator de cortesia à moda antiga, através da utilização, na língua Portuguesa, da verdadeira forma da segunda pessoa do plural do verbo ocupar: OCUPAI!, tornando assim a palavra de ordem numa proposta de ação serena e positiva, não caótica e violenta.

OCUPAI! traz uma imprevisível coexistência entre a força das comunidades de uma cidade e as contingências existenciais, que perturbam, que metem em crise, que fazem mexer e pensar, recordando-nos que tudo é passível de ser alterado: basta saber atingir o ponto de rutura com inteligência, ironia e perseverança.

OCUPAI! é um festival urbano contemporâneo e social, em que social quer mesmo dizer pessoas concretas, não qualquer tipo de chavão publicitário que fica bem na promoção de qualquer festival no século XXI.

OCUPAI! é um festival ibérico no sentido em que assume o seu posicionamento geográfico no interior beirão situado no cruzamento com duas regiões espanholas, Galiza e Castilla y León, que tantas ligações históricas, linguísticas e culturais têm com a zona, promovendo-se assim uma interação espontânea com gente boa que vem de contextos comparáveis ao de São Pedro do Sul, trabalhando há décadas no agitar consciências em terras de província, assumindo riscos como forma de vida, o que torna esses riscos mais verdadeiros e próximos das pessoas.

OCUPAI! é um festival sem medo de trilhar caminhos arriscados.
É um festival no verão que não é um festival de verão.
É um festival que acredita que não é só a grande escala que convoca públicos, também a disseminação de micro ações com sentido.
É um festival que pretende impulsionar uma relação quotidiana nova numa pequena cidade do interior.
É um festival não efémero e não auto-celebrativo.
É um festival que junta criatividade manual e local à moda antiga, música improvável e inclassificável, palavra falada, cantada e gritada, que invoca o poder da voz no rompimento de barreiras sensoriais e psicológicas.

OCUPAI!: não podemos deixar de colocar o desafio. É esse o nosso compromisso com a cidade e com quem a vive.


c) Programação do Festival Ocupai!

Sexta-Feira, 31 de Julho

14h00-20h00: Mercado de Usados | Local: Antiga Garagem da Empresa Guedes
14h00-20h00: Espaços de Gastronomia e Artesanato Local | Local: Pátio da Antiga Garagem da Empresa Guedes e Rua Direita
16h00-20h00: Instalação Sonora: São Pedro do Sul: Novas Escutas Rurais, de Luís Costa | Local: Rua Direita
16h00-20h00: Instalação Audiovisual: A Esposa, de Manuela Barile | Local: Rua Direita
16h00-20h00: Instalação Audiovisual: Da Serra ao Bairro Chinês, de Luís Costa, com Susana Rocha e Nely Ferreira | Local: Rua Direita
16h00-20h00: Performance participativa: O Cantinho do Falador (a.k.a. Speaker’s Corner) | Local: Rua Direita
16h00-20h00: Performance: Solo de Bateria, com Rui Tavares | Local: Rua Direita
16h00-20h00: Música: Vem Tocar o que Sabes (Jam Session) | Local: Rua Direita
18h00-19h00: Cabaret Lírico-Poético: Aldao Lado (Galiza, Espanha) | Local: Salão da Associação Humanitária de Bombeiros Voluntários de São Pedro do Sul
19h00-20h00: Ação de Improvisação Coletiva: Orquestra Sampedrense de Ringtones | Local: Passa Ruas no Centro Histórico de São Pedro do Sul
21h30-22h20: Música ao Vivo: Tranglomango (Novo Folk) | Local: Lenteiro do Rio
22h40-23h30: Música ao Vivo: IGMIG (Free Dada Rock), (Galiza, Espanha) | Local: Lenteiro do Rio
23h50-01h00: Arte Sonora ao Vivo | Concerto para as Estrelas (aka Space Sound Shelter), de Teatro do Frio | Local: Lenteiro do Rio

Sábado, 01 de Agosto

14h00-20h00: Mercado de Usados | Local: Antiga Garagem da Empresa Guedes
14h00-20h00: Espaços de Gastronomia e Artesanato Local | Local: Pátio da Antiga Garagem da Empresa Guedes e Rua Direita
16h00-20h00: Instalação Sonora: São Pedro do Sul: Novas Escutas Rurais, de Luís Costa | Local: Rua Direita
16h00-20h00: Instalação Audiovisual: A Esposa, de Manuela Barile | Local: Rua Direita
16h00-20h00: Instalação Audiovisual: Da Serra ao Bairro Chinês, de Luís Costa, com Susana Rocha e Nely Ferreira | Local: Rua Direita
16h00-20h00: Performance participativa: O Cantinho do Falador (a.k.a. Speaker’s Corner) | Local: Rua Direita
16h00-20h00: Performance: Solo de Bateria, com Rui Tavares | Local: Rua Direita
16h00-20h00: Música: Vem Tocar o que Sabes (Jam Session) | Local: Rua Direita
18h00-19h00: Teatro Musical: Perrita China, de Nilo Gallego e Amalia Fernandez (Espanha) | Local: Salão da Associação Humanitária de Bombeiros Voluntários de São Pedro do Sul
19h00-20h00: Ação em Espaço Público: UWAGA!, de Coletivo DEMO | Local: Centro Histórico de São pedro do Sul
21h30-22h20: Música ao Vivo: Gazua (Punk Rock) | Local: Lenteiro do Rio
22h40-23h30: Música ao Vivo: Peixe-Avião | Local: Lenteiro do Rio
23h50-01h00: Recital de Poesia e Arte Sonora, com Estibaliz Espinosa, Patxi Valera e Madamme Cell (Galiza, Espanha) | Local: Lenteiro do Rio

Domingo, 02 de Agosto

14h00-20h00: Mercado de Usados | Local: Antiga Garagem da Empresa Guedes
14h00-20h00: Espaços de Gastronomia e Artesanato Local | Local: Pátio da Antiga Garagem da Empresa Guedes e Rua Direita
16h00-20h00: Instalação Sonora: São Pedro do Sul: Novas Escutas Rurais, de Luís Costa | Local: Rua Direita
16h00-20h00: Instalação Audiovisual: A Esposa, de Manuela Barile | Local: Rua Direita
16h00-20h00: Instalação Audiovisual: Da Serra ao Bairro Chinês, de Luís Costa, com Susana Rocha e Nely Ferreira | Local: Rua Direita
17h00-18h00: Street Art: Cement Eclipses (Visita Guiada), de Isaac Cordal (Galiza, Espanha) | Local: Centro Histórico de São Pedro do Su
18h00-19h00: Teatro/Performance Coletiva: Télépathie, de somospeces≠ (León, Espanha) | Local: Palácio do Marquês de Roriz
19h00-20h00: Música/Arte Sonora: Uma Campanologia Sampedrense, de Luís Costa com jovens de São Pedro do Sul | Local: Percurso por Sinos de Igrejas do Centro Histórico