CAMINHOS DA MOBILIDADE RURAL
Programa de Residências Artísticas em Artes Sonoras e Intermedia para 2014
Maciços do Montemuro, Arada e Gralheira (Portugal)

Abril e Outubro de 2014

Uma organização da Binaural/Nodar
Em parceria com Audiolab.org (País Basco) e Rede Tramontana de Arquivos da Memória do Sul da Europa

[Candidatura aberta para projetos criativos até 31 de Outubro de 2013]

1. Proposta criativa

Normalmente entende-se a sociedade rural de montanha como a dos maciços montanhosos à volta de Nodar (centro de Portugal) como estando ainda ancorada num sentido de radicação, de ligação profunda entre as comunidades e as suas paisagens de referência, em que toda a mobilidade é encarada como sendo forçada pelas circunstâncias e como situação-limite, como saída do fluxo natural da vida (por exemplo, a emigração ou a ida para a guerra).

No entanto, analisando de forma atenta a história social destas comunidades, percebe-se nelas toda uma série de ímpetos de movimento desde tempos ancestrais, sendo que provavelmente eram as limitações dos meios e das vias de transporte que tornavam o raio da ação da mobilidade mais limitado, que não a vontade e a necessidade.

Por outro lado, a rápida mudança social de Portugal estimulou um aumento do ritmo e do alcance geográfico da mobilidade nas últimas décadas, sendo que hoje é comum nas aldeias rurais o contacto com quem teve experiências de vida no exterior, ou inclusive com quem nem sequer nasceu ou tem raízes nesses territórios.

O programa de laboratórios artísticos de criação em artes sonoras e intermedia para 2014 da Binaural/Nodar irá precisamente focar-se nos aspetos ancestrais e contemporâneos da mobilidade rural nos maciços do Montemuro, Arada e Gralheira tentando, através do acolhimento de trabalho de campo artístico com comunidades e paisagens e de usos inovadores de tecnologias audiovisuais, de comunicação e interativas, contribuir para a reflexão sobre os novos sentidos dinâmicos para a cosmovisão rural.

Eis as tipologias de mobilidade rural que deverão ser escolhidas por cada proposta (uma tipologia por cada proposta):

  1. Mobilidades comerciais: os vendedores pedestres de bens alimentares, os vendedores de gado bovino e caprino, os vendedores e compradores de minério durante a XX guerra mundial, os serviços itinerantes tradicionais (matadores, capadores, ferreiros, carpinteiros, cesteiros, tanoeiros, tamanqueiros, etc.), o transporte de mercadorias moderno (TIR), o contrabando, as carrinhas mercearia, padaria, frutaria, peixaria, etc.
  2. Mobilidades agrícolas: a mobilidade dos agricultores assalariados, tanto dentro da região como para outras regiões, etc. A mobilidade cíclica e local em função das estações do ano e das suas atividades agrícolas.
  3. Mobilidades pastorícias: os caminhos da transumância, a mobilidade quotidiana dos pastores, etc.
  4. Mobilidades religiosas: as peregrinações (tanto locais como para Fátima), as promessas, as procissões, as vias sacras, etc.
  5. Mobilidades de ócio: a itinerância de músicos e populações das aldeias para as festas e bailes tradicionais, etc., os novos caminhos do ócio e o rural como fim de semana ou férias.
  6. Mobilidades sociais: O casamento, o serviço militar, a guerra, a escola, a universidade, o seminário, a emigração e a imigração (Lisboa, Porto, França, Suíça, Brasil, etc.) A partida e o retorno. Os caminhos percorridos, a passagem das fronteiras, etc.


2. Candidatura

a) No processo de seleção serão privilegiados os seguintes tipos de obras artísticas e de pesquisas experimentais: composições electroacústicas / vocais / de arte sonora, Esculturas sonoras; Peças de arte rádio; Obras de improvisação livre e Performance para a fonosfera local.

b) As residências de criação artística e de pesquisa experimental serão desenvolvidos em dois momentos, nos meses de Abril e Outubro de 2014 (cada artista desenvolverá o seu projeto durante três semanas apenas num dos dois períodos).

c) As candidaturas apenas são aceites se enviadas até ao dia 31 de Outubro de 2013, exclusivamente através do formulário online: http://www.binauralmedia.org/news/pt/artist-residency/application-form

d) O documento a anexar à candidatura (um ficheiro .pdf, .doc ou .zip) deverá incluir as seguintes informações:

  1. Proposta de projecto artístico a desenvolver (com indicação de metodologia e cronologia de trabalho);
  2. Biografia artística resumida e Curriculum Vitae completo;
  3. Ligações web para trabalhos anteriores do artista;
  4. Necessidades técnicas e materiais do projecto;
  5. Proposta de período temporal para a residência artística.

e) Para o esclarecimento de eventuais dúvidas, escrever para Manuela Barile (manuela-binauralmedia.org) ou Rui Costa (rui-binauralmedia.org).

f) Para informações adicionais das condições da residência, consultar o site da Binaural/Nodar:
http://www.binauralmedia.org/news/pt/artist-residency/the-residency .[/fusion_builder_column][/fusion_builder_row][/fusion_builder_container]