Rua do Pedregal | 3660-645 Sul | Portugal
Tel. +351 232 723 160, +351 918 951 857
Email: info@binauralmedia.org
SoundcloudSoundcloudFlickrFlickrTwitterTwitterFacebookFacebookVimeoVimeo

Laboratório Human Field Recordings com Manuela Barile em Guimarães

Laboratório Human Field Recordings

Dirigido por Manuela Barile
Co-produzido por: Centro Cultural Vila Flor, Guimarães (PT)
Local do laboratório: Fábrica ASA
Laboratórios de Criação e Formação para Jovens | 14 aos 25 anos
Datas: 23 e 24 fevereiro 2013
Horário: 11h00 às 13h00 e 14h30 às 18h30

Preço de inscrição: 5 Euros
Inscrições: contactar Centro Cultural Vila Flor (Guimarães)

Em Human field recordings a voz e o corpo surgem enquanto indutores de processos, seja de gravação, de escrita, de processamento ou de reprodução, de fatores de subjetividade na relação com o espaço acústico habitado/ vivido. Este laboratório consiste no desenvolvimento de performances coletivas no espaço urbano e/ou rural de escuta e de translação/ interação vocal com os estímulos acústicos. Esta será uma oportunidade única de mergulhar na dimensão sonora da nossa existência individual e coletiva com a diretora artística da Binaural/Nodar.

Manuela Barile é uma artista italiana que vive e trabalha na região rural do maciço da Gralheira (S. Pedro do Sul) desde o 2006. Aqui desenvolve projectos em estreito contacto com as comunidades locais, tendo em conta aspectos específicos do território como a tradição, a memória, os símbolos e os rituais depositados no solo como marcas indeléveis. O seu trabalho artístico combina antropologia visual e sonora, documentário, vídeo arte, performance art e performance vocal, tocando questões íntimas como a morte, a pobreza, o trabalho, a felicidade, a emigração, etc. A arte de Manuela Barile é uma investigação contínua sobre a realidade, sobre o estar no mundo, sobre a experiência pessoal. Usando como ponto de partida a sua própria existência e a de pessoas comuns, o trabalho da artista é capaz de transformar a experiência individual num lugar de projecção colectiva. Como cantora, embarcou em 2001 num percurso pessoal na área da experimentação vocal aplicada à improvisação livre. A artista baseia-se no uso de “técnicas vocais estendidas” focadas na relação entre voz, corpo, paisagem sonora e propriedades acústicas dos lugares. Manuela Barile é presentemente directora artística da Binaural/Nodar, uma organização cultural Portuguesa dedicada à promoção da arte sonora e intermédia em contexto rural. Os seus filmes foram exibidos em varios festivais: Australian International Experimental Film Festival, Cologne OFF, Optica, Videoholica, Festival Internacional de Cinema de Camden (US), etc.