(Re)Rural
Habitat, Usos e Práticas do Quotidiano
Como eram? Como são? Como serão e como querem que sejam?

Inauguração de Exposição Final do Projecto
Sábado, 2 Junho às 17h00
Centro Social de Manhouce (Manhouce, São Pedro do Sul)

Autoria:
Ana Costa, Maria Carlos Valverde, Sílvia Jorge e Zoraima de Figueiredo para o Festival Som e Arquitetura Rural

Participação:
Alunos do 3º e 4º ano da Escola EB1 de Manhouce e de habitantes de aldeias da Freguesia de Manhouce

Produção:
Luis Costa (Binaural/Nodar)

Apoios:
Centro Social de Manhouce, Agrupamento de Escolas de Santa Cruz da Trapa, Isabel Silvestre e Vozes de Manhouce, Junta de Freguesia de Manhouce, Associação Aldeias de Magaio


(Re)Rural é um projecto centrado na análise de três vertentes distintas dos processos de transformação no espaço rural: o habitat, os usos e as práticas do quotidiano. A leitura destes processos percorreu três escalas espácio-temporais, inter-relacionando o espaço (o habitat e as tipologias associadas aos usos e práticas do quotidiano) e o tempo (passado, presente e futuro), a partir de diferentes gerações (avós, pais e filhos).

Este ponto de partida direccionou o caso de estudo para a Aldeia de Manhouce, por ter escola primária a funcionar no contexto das aldeias serranas do concelho de São Pedro do Sul. Tomou-se como objecto de estudo este território e as histórias de vida da sua população, partindo dos alunos do 3º e 4º ano da Escola EB1 de Manhouce. Através da adopção da estratégia “bola de neve” — começa pequena e vai aumentando gradualmente o seu volume — foi possível realizar-se uma viagem espácio-temporal, começando nos filhos e passando pelos pais e avós.

Questões levantadas:

Habitat, usos e práticas do quotidiano: Como eram? Como são? Como serão? Como querem que sejam?
Quais as mudanças do espaço rural ao longo do tempo?
Que fenómenos/conceitos (espaço perirural, espaço subrural, processos de gentrificação, aldeias dormitório, entre outros) se podem associar a estas transformações?
O que representam? Estar-se-á perante uma (re)utilização do rural? O que poderá representar o (re)rural?

Objectivos centrais:

Estabelecer uma inter-relação entre espaço, tempo e as gerações envolvidas. Desmontar as transformações do espaço rural ao longo do tempo: do habitat, dos usos e das práticas do quotidiano, a partir das histórias de vida de três gerações de habitantes (avós, pais e filhos). Reflectir sobre o impacto dessas transformações no significado do conceito de “rural”.