O presidente da Binaural, Luís Costa, foi convidado a participar no congresso “Lugares de Cultura“, organizado pela Xunta de Galicia na cidade de Santiago de Compostela entre 21 e 24 de Janeiro 2009.

Os equipamentos culturais tornaram-se na última década num dos pólos de atracção dos territórios. Contudo, em que medida podem contribuir para um processo de desenvolvimento cultural, para um processo de transformação desses territórios e dos seus habitantes?

O encontro foi estruturado para ser o início de um processo permanente de debate e análise com a particpação de todos aqueles que estejam interessados na cultura como geradora de valores, atitudes e comportamentos fundamentais para o desenvolvimento de sociedades mais reflexivas e inovadoras.

Luis Costa foi um dos oradores convidados para uma mesa redonda (juntamente com Chiu Longina de escoitar.org, Paulo Vinhas da Matéria Prima, Ugia Pedreira da aCentral Folque, Manuel Olveira do CGAC), “Eixo Atlântico”, dedicada a uma discussão das estratégias culturais transfronteiriças entre a Galiza e Portugal.

Tanto na Galiza como em Portugal existem vários projectos que estão a trabalhar neste sentido, na interacção com o tecido cultural, prestando atenção à heterogeneidade das práticas culturais e apostando pela produção de conhecimento. Através de algumas das experiências que operam no eixo atlântico, discutem-se questões como: De que forma pode ser articulada uma programação cultural permeável e comum no eixo atlântico? As instituições culturais comprometem-se com a construção da memória cultural colectiva? São conscientes da necessidade de fazer país, mesmo que percam algo do que lhes é próprio durante este processo?

Eis um clip vídeo com alguns excertos da mesa redonda “Eixo Atântico” (falado em Galego e em Português):

[MEDIA=46]
[/fusion_builder_column][/fusion_builder_row][/fusion_builder_container]