[nodar002] Sonata for clarinet & nodar
Jez riley French (gravações de campo / composição)
Joana Silva (clarinete)
Luis Costa (gravações de campo)

Uma composição intuitiva criada por Jez riley francês com Luis Costa (coordenador do Centro de Residências Artísticas de Nodar), a própria paisagem de Nodar e a jovem clarinetista Joana Silva. Joana literalmente desconstrói a obra ‘Solo de Concours “, composta em 1901 por Henri Rabaud enquanto caminhava através da água, vento, cobras, cães, moto-roçadoras, e aviões cruzando o céu a caminho dos incêndios. Rabaud, um compositor que era rotulado de conservador, sendo conhecido pela expressão: “A modernidade é o inimigo” a qual ganhou uma acuidade inesperada com a profusão de novas sonoridades na paisagem ancestral de Nodar, durante a gravação da peça.

Após termos dado a Joana algumas ideias minima de como devia encarar a viagem através da paisagem e da música, nenhum de nós esperava que ela iria gastar mais de duas horas caminhando lentamente e explorando pequenas partes da peça de Rabaud. É a simplicidade da ideia para esta peça combinada com a abertura e foco de Joana que tornou o dia tão memorável.

[p] & [c] pelos artistas, 2010

Obrigado a Carina Martins e João Rodrigues por documentarem o dia
Fotografias e design da capa por JrF

Engraved glass egcd035 / Nodar Edições nodar002[/fusion_builder_column][/fusion_builder_row][/fusion_builder_container]