Sétimo ciclo de residências artísticas de Paivascapes #1

Sétimo Ciclo de Residências Artísticas de Paivascapes #1
Concelhos de Arouca e Castelo de Paiva
15 a 28 Outubro de 2010
William Lamson(US)
Keiko Uenishi (JP/US)

O Programa de Residências Artísticas de Nodar para 2010 tem um tema agregador único: o rio Paiva. Ao longo do ano, do Inverno ao Outono são desenvolvidos diversos projectos artísticos multidisciplinares (que tenham como elemento central o som) numa perspectiva contextual relacionada com as várias zonas geográficas do rio, da nascente até à foz.

Projectos artísticos:

Keiko Uenishi (JP/US)
Projecto Artístico:
“Paiva Games: Sound Dams” | Arte Sonora

A artista propõe um jogo baseado em investigações ao longo dos últimos 28 km do curso do Rio Paiva, criando “Sound Dams” (barragens sonoras).

• Atravessar / Não atravessar (fronteira) – com moradores, incluindo crianças de ambos os lados do Rio Paiva. Os moradores de ambos os lados são convidados a decidir se querem ficar do seu lado ou atravessar para o outro lado. Uma vez tomada a decisão, o grupo “Atravessar” recolhe sons com que estão mais familiarizados, enquanto o grupo “Não Atravessar” recolhe sons que não estão habituados a ouvir no seu lado. Significa que vão existir quatro grupos – já que em cada lado existem dois grupos “Atravessar” e “Não atravessar”. Finalmente, cada lado do grupo “que permanece” revela ficheiros de som gravados com o grupo “que atravessou”, faz suposições sobre as suas fontes, comparações de escolhas, etc.

• Circulação / Corrente – sons recolhidos no rio vão voltar a ser transmitidos através de mini estações de rádio FM de bateria ou energia solar, no local mais distante do rio, no primeiro dia da “mudança para o novo local ao longo do rio”, como se tratasse de uma “declaração” do jogo. E mais tarde, irei realizar novamente outro jogo “Atravessar / Não atravessar” com as pessoas mais à frente.

• União (Sound Dams) – Juntando os novos arquivos de som com o resultado adicionado do jogo, será realizada outra transmissão e um novo jogo na área mais distante (e último). Ao contrário das barragens de água, “as barragens sonoras” aumentam o seu fluxo em direcção à nascente, com muitas ‘comunicações cruzadas’ como resultados das diferentes partes do rio e das pessoas que vivem ao longo das suas margens.

A participação de Keiko Uenishi (o.blaat) na residência artística de 2010 do projecto Paivascapes #1 e os seus trabalhos para o Festival Paivascapes #1 2011 foram possíveis com o apoio de Meet The Composer and its Global Connections Program. O financiamento para Global Connections é proporcionado pela The Ford Foundation.

Biografia Artística:
Baseada em Brooklyn, Nova Iorque, artista sonora, compositora social, e membro do núcleo de SHARE, o.blaat (Keiko Uenishi) é conhecida pelos seus trabalhos criados através de experiências de reestruturação e análise da relação de cada um com sons em ambientes sociológicos, culturais e/ou psicológicos. Tem realizado performances e instalações em diversos museus, clubes, galerias e festivais de todo o mundo. Mais recentemente, o.blaat instalou ‘Soundleak: TheROOM’ na Medien Kultur Haus, Wels, Áustria, como parte da série “What You Really Need ” com curadoria de MKH, financiada por Linz Capital da Cultura 2009.

http://obla.at

William Lamson (US)
Projecto Artístico:
“Drift” | Vídeo, Áudio, Performance, Escultura

A ideia da vida em equilíbrio com a natureza é a inspiração para a performance, projecto áudio e vídeo denominado “Drift”. Proponho uma performance em que estarei na superfície do Paiva, movendo-me lentamente para baixo nos últimos 28 km do rio até que este se expanda para o Douro. Para tornar isso possível, vou construir um dispositivo de flutuação simples que é calibrado para o meu peso, mas permanece completamente submerso, excepto um pequeno disco, abaixo dos meus pés. Um par de botas de fibra de vidro instalado na embarcação vai manter os meus pés no lugar e ajudar a manter o meu equilíbrio. Este projecto situa o meu corpo num equilíbrio delicado com a superfície do rio. Movendo-se lentamente com a força invisível do corrente, “Drift” vai permitir-me experimentar o rio Paiva, de forma íntima, de tal forma que darei o controlo do meu movimento ao próprio rio. A partir desta posição de vulnerabilidade, vou fazer uma série de gravações sonoras de campo, para criar uma peça minimalista. Sequenciado com o áudio haverá um vídeo documentando o meu progresso no rio.

Cronologia do projecto

No local da Residência:
Dias 1-5, construir, testar e calibrar o dispositivo de flutuação no Paiva para Nodar.
Dia 5-7, Reconhecer o percurso de 28 km rio abaixo.
Dias 8-14, Lançar a embarcação e começar a viagem de 28 km rio abaixo.

Biografia Artística:
William Lamson é um artista que trabalha em áudio / vídeo, fotografia, performance e escultura e está baseado em Brooklyn. A sua obra está presente nas colecções do Brooklyn Museum, the Dallas Museum of Art, the Museum of Fine Arts de Houston e em várias colecções privadas. Em 2009, foi premiado com uma bolsa MacDowell para trabalhar numa escultura pública como parte de um espectáculo individual na Artspace New Haven. Desde que se formou em 2006, o seu trabalho tem sido mostrado no P.S.1, The Brooklyn Museum, Franklin Art Works em Minneapolis e no Museum of Fine Arts em Santa Fe, entre outros.

http://www.williamlamson.com

2017-02-13T18:32:22+00:00 16 Outubro, 2010|