Sexto Ciclo de Residências Artísticas de Paivascapes #1
Concelho de Arouca
1 a 14 Outubro de 2010

Marc Behrens (DE)
Ignaz Schick (DE)

O Programa de Residências Artísticas de Nodar para 2010 tem um tema agregador único: o rio Paiva. Ao longo do ano, do Inverno ao Outono são desenvolvidos diversos projectos artísticos multidisciplinares (que tenham como elemento central o som) numa perspectiva contextual relacionada com as várias zonas geográficas do rio, da nascente até à foz.


Marc Behrens (DE)
Projecto Artístico:
“Recurrent” | Arte Sonora, Música Contemporânea, Clarividência

O projecto envolve duas fases: A produção de um número de gravações com 3 a 5 voluntários seleccionados que vivem na área designada do rio Paiva, realizando algumas actividades diárias que têm uma articulação com o rio. Estas gravações serão a base para pequenas peças sonoras. A construção e instalação de sistemas de som flutuantes que se irão movimentar a jusante ou ser ancorados em diferentes pontos ao longo de uma secção designada do rio e reproduzir excertos destas peças sonoras.

Um rio move-se, no entanto, parece ter uma posição definida no espaço e no tempo. Um visitante ocasional pode não estar ciente dos detalhes. As pessoas que vivem nas proximidades dos rios e cujas vidas são determinadas ou dependem dos benefícios dos rios, têm uma noção mais exacta deste facto. As actividades diárias realizadas por estes locais podem, por sua vez, parecer bastante uniformes, semelhantes no dia-a-dia, mas não são. Mesmo se as condições ambientais se mantivessem estáveis, as actividades diárias são objecto de humor, saúde, interacção com os outros e, é claro, das condições do rio.

Biografia Artística:

Nascido em Darmstadt, na Alemanha, em 1970, Marc Behrens trabalha em vários níveis cerebrais e físicos. As suas obras consistem principalmente em música electrónica concreta, instalações, e ocasionalmente fotografia ou vídeo. Actividades recentes incluíram viagens para realizar gravações sonoras de campo no remoto oeste da China e da floresta Amazónia, a fundação de uma empresa como uma obra de arte social, e encenação um rito de passagem para um banqueiro de investimentos. Behrens realizou performances e teve exposições realizadas em toda a Europa, Médio Oriente, África do Sul, América do Norte e Leste da Ásia. Desenvolveu colaborações com Achim Wollscheid, Günter Bernhard, Francisco López, Jeremy Bernstein, Nikolaus Heyduck e Paulo Raposo, entre outros.

http://www.marcbehrens.com/


Ignaz Schick (DE)
Projecto Artístico:
“The Paiva River Collection” | Arte Sonora, Instalação

A ideia para o projecto de Ignaz Schick em Nodar consiste em fazer caminhadas diárias e explorações em todo o vale e encosta do rio Paiva nos primeiros 7 a 10 dias de residência para recolher todos os tipos de diferentes materiais orgânicos que podem ser encontrados e trazê-los de volta para o estúdio onde o artista efectuará pesquisas e experiências intensivas sobre os mesmos para aprender e descobrir as suas possibilidades sonoras. Toda esta actividade será catalogada e documentada e será compilada uma espécie de pontuação / lista, que se tornará num arquivo repleto de possibilidades.

O material recolhido será moldado em duas instâncias de trabalho diferentes:

1) Uma instalação sonora na qual será usado um exemplo de cada objecto encontrado. A característica da instalação será semelhante a fantasmas / vibrações. Os objectos sonoros criados são fixos por cordas de nylon que por sua vez estão ligados às membranas das colunas que transferem a vibração de ondas sinusoidais baixas para as cordas e colocam os objectos em ressonância e vibração…

2) Uma composição que será apresentada ao vivo pelo artista no evento final em Março de 2011 usando inteiramente materiais orgânicos encontrados na região do Rio Paiva. A performance será realizada principalmente através de superfícies rotativas, o que significa que os objectos são tocados directamente no prato do gira-discos e que a suas ressonâncias e vibrações são simplesmente amplificadas com um pequeno microfone condensador. O artista pretende, deste modo, criar uma topografia sonora do vale do rio que não se refere directamente à paisagem sonora habitual e conhecida. A ideia será tentar criar mais ou menos um meta nível abstracto de uma topografia sonora do ambiente ao ter uma visão microscópica de algumas dessas componentes naturais e das suas potencialidades sonoras escondidas.


Biografia Artística:

Ignaz Schick é um artista sonoro, turntablist e compositor. Nasceu na Baviera e desde o final de 1995 vive e trabalha em Berlim, onde se tornou uma força activa da chamada “Berlin Nouvelle Vague” da música em tempo real. Tem colaborado com vários artistas internacionais (como Don Cherry e Charlemagne Palestine) e fez várias tournées e performances em clubes e festivais em toda a Europa, Austrália, Israel, Malásia, Nova Zelândia e E.U.A. Lançou vários álbuns em inúmeras editoras e fez parte de emissões de rádio e produções para a ORF – Kunstradio, ORF-Zeitton, WDR3, DRS2 ou Radio Copernicus. Desde o início dos anos 90, tem feito curadoria em festivais de música experimental (FAM, Erase & Reset, Tim Shifts, o Internacional Turntable Orchestra…).

http://www.zangimusic.de