O projeto Viseu Rural 2.0 e a Casa da Lavoura / Oficina do Linho de Várzea de Calde acolhem investigador Italiano.

Viseu Rural 2.0 é um projeto desenvolvido pela Binaural Nodar em coorganização com o Município de Viseu, no âmbito do Programa Viseu Terceiro, o qual inclui recolhas, catalogação e arquivo de documentação audiovisual patrimonial, investigação científica social e etnográfica, criação artística sonora e media e difusão cultural junto de vários públicos alvo (crianças, jovens, seniores, turistas), estando o projeto em curso desde 2015 em freguesias rurais do concelho de Viseu. O projeto parte de um pressuposto de necessidade de se conferir expressão e densidade a todo um arco rural que envolve a cidade de Viseu e cuja memória e estrutura fazem também parte da história da própria cidade.

No contexto da edição de 2017 de Viseu Rural 2.0, iniciou-se no passado 2 de Maio e estender-se-á em várias fases até ao final do ano, o acolhimento de um investigador social Italiano, Alessandro Vasta, na aldeia de Várzea de Calde, no âmbito da participação da Binaural/Nodar como entidade associada do projeto Europeu #SUSPLACE (http://sustainableplaceshaping.net/), financiado pelo Programa
Horizonte 2020 e que se concentra na análise, avaliação e implementação de novas práticas endógenas para o desenvolvimento sustentável local.

Alessandro Vasta é um investigador do Departamento de Ciências Sociais, Políticas e do Território da Universidade de Aveiro, tendo uma forte paixão pela sustentabilidade e por questões de desenvolvimento. Possui um mestrado em Desenvolvimento Sustentável pela Universidade de Utrecht (Holanda) e tem uma formação multidisciplinar, tendo trabalhado anteriormente em projetos ambientais e sociais em várias zonas do mundo.

No âmbito do seu trabalho em Várzea de Calde, Alessandro Vasta colabora ativamente com a Binaural / Nodar, focalizando-se especificamente em processos que possam promover o uso ativo e inovador de recursos locais e produtos tradicionais locais (como é o caso do linho) enquanto estratégias para o desenvolvimento rural e resiliência da comunidade. A investigação será conduzida através de métodos de pesquisa participativa procurando abranger os vários atores ativos, sendo de destacar a estreita colaboração com a Casa de Lavoura / Oficina do Linho, a junta de freguesia de Calde, a Cooperativa do Linho de Várzea de Calde e o Grupo Etnográfico e de Cantares de Várzea de Calde, articulando-se desta forma com o extenso trabalho etnográfico que a Binaural/Nodar tem vindo a desenvolver na freguesia desde 2015.






Source